| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

A Princesa Esmeralda

Page history last edited by Inpi 11 years, 11 months ago

.A Princesa Esmeralda

 

     Era uma vez, num reino chamado Bondoso, uma princesa chamada Esmeralda. O seu rosto era pálido e macio, os seus olhos eram verdes, brilhantes e esbugalhados; a sua boca pequena e o seu cabelo liso, castanho e solto; usava um vestido verde como a relva, até aos pés e com mangas.

     Mas o que ninguém sabia era que ela guardava um segredo: guardava uma arca antiga, mas não era só uma arca, era o grande tesouro da Rainha Catarina e do rei Leonardo, seus pais.

     Certo dia, quando a princesa estava a dormir, foi ao seu palácio a bruxa Soletrina, uma bruxa feia, com o rosto enrugado e áspero, de olhos escuros como a escuridão, de boca pequena e de cabelo liso, preto.

     Fora roubar a arca dos pais e levou-a para o reino Sombrio. Era um reino mau, escuro e onde a alegria não entrava, as pessoas trabalhavam obrigadas  e havia um castelo feito de escuridão  e de maldade, com a letra S no topo.

     Quando a princesa acordou, foi verificar a arca e ficou desesperada, tentou pocurar ajuda junto mais sábio do reino, o burro Cantarola; o seu rosto era peludo, os olhos amendoados, a boca grande e não tinha cabelo. O burro tinha um objeto mágico: uma bola de cristal, onde se podia observar as coisas que mais se procuravam; a bola de cristal era redonda, transparente e não muito grande.

     A princesa pediu ao burro para falar com a bola mágica, para a bola mágica descobrir onde estava a arca. A bola mágica indicou para o Reino Sombrio. A princesa pegou na sua carruagem mágica que voava e, em dois cavalos, ela e o burro voaram para o Reino Sombrio.

     Chegaram lá e só viram maldade e ficaram muito, muito tristes. Caminharam com um capuz na cabeça. Entretanto, a carroça já tinha voado dali para fora. Muito tristes com a maldade, foram caminhar para o castelo.

     O castelo não tinha empregados, então foi fácil de entrar. Foram até aos aposentos da bruxa Soletrina e desafiaram-na para uma luta: quem ganhasse ficava com a arca. Então começou a luta em cima da torre mais alta do castelo: via-se só fumo, maldade e escuridão e a pobreza dor Reino, ouvia-se um tremendo silêncio, aterrorizador.

     A bruxa mandou vir uma pessoa do povo para começar a luta, a pessoa contou até 3 e a luta começou: a bruxa Soletirna lançou um feitiço tão mau, mas tão mau, que a princesa não aguentou e morreu. O burro sábio, como era esperto, empurrou a bruxa Soletrina, enquanto ela estava a fazer o seu riso maléfico.

     Então a bruxa caiu na sua própria maldade e todo o Reino se libertou da maldade da bruxa! Mas a princesa ainda estava morta: os habitantes corriam para a princesa a socorreram-na, e o busrro sábio a dar as indicações. O burro fez uma poção mágica que curou a princesa e ela renasceu.

     A Princesa ficou tão feliz que recuperou a sua arca e deu aquele Reino ao burro sábio que agora se chamava Sábio.

     E reinou uma vida longa no seu Reino.

Catarina P e Sara S, 5º C

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.