| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

A Princesa e o seu Cavaleiro

Page history last edited by Inpi 12 years, 2 months ago

 

 

                                                                    A Princesa e o seu Cavaleiro

 

  

 

     Era uma vez uma Princesa que vivia no bosque, num tronco de umas árvores.

     Era primavera e o bosque estava com flores e musgo escorregadio.

     Era de manhã, ela acordou, foi tomar o pequeno- almoço e saiu de casa. Ela foi passear para o bosque e levou arroz para saber por onde era o caminho de casa.

     E no meio do bosque havia umas montanhas; ela foi até lá ao cimo.

     Aí encontrou um pau e ela não sabia o que era, pensou se seria uma varinha, um a bengala ou outra coisa.

     Ela fez “abracadabra”: de repente, desceu da varinha um velho gordo de cabelo branco, a fumar um cachimbo e que levava umas chaves numa mochila.

     E o velho disse que ia correr atrás dela até ao bosque.

     A Princesa não podia correr, porque ela tinha um vestido comprido e tinha sapatos altos.

     O velho trazia uma vela presa a um pau.

     E de repente, ela disse outra vez: “abracadabra”, para ver o que lhe aparecia.

     Desapareceu o velho de cabelo branco e apareceu um cavaleiro bonito e que estava com uma carruagem com cavalos. Os cavalos eram o animal preferido da princesa. A Princesa estava vestida com um vestido branco a brilhar como uma estrela.

    Olharam um para o outro, o Príncipe foi para o pé da princesa e beijou a sua mão.

     A Princesa perguntou-lhe se ela podia andar. Enquanto eles andavam, a Princesa começou a ficar apaixonada pelo Príncipe e o Príncipe também por ela. O Príncipe, que era tão corajoso, pediu a Princesa em casamento.

     Foram para um castelo muito bonito e começara m a viver lá felizes para sempre.

 

 

Beatriz F.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.